Histórias para celular

Seção que oferece dezenas de histórias de ficção, sem imagens ou estudos, de modo a facilitar a leitura por meio de celular.

Os textos antigos foram atualizados segundo as normas do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (1990).

1. Precursores do romance brasileiro: 1826-1843

. Links para textos de ficção publicados nos posts sobre a história da literatura brasileira.

. Inclusão progressiva de todas as histórias do período que antecedeu a publicação de “O Filho do Pescador”, o primeiro romance nacional (base de futuro livro do autor).

. Base de futuro livro do autor.

2. Ficção brasileira de 1844 em diante

. Links para contos, novelas, romances e folhetins de importância histórica.

3. Resumos de histórias

. Resumos completos do enredo, cena a cena, de obras indisponíveis (ou quase), ou cuja leitura apresenta muita dificuldade a leitores modernos (como “Aventuras de Diófanes”, de Teresa Margarida da Silva e Orta).

4. Aventuras de Rocambole

. Primeira tradução e adaptação moderna do mais famoso e extenso romance em folhetins da literatura (1857-1870, mais de 3.000 páginas), escrito pelo francês Ponson du Terrail.

. “Aventuras de Rocambole” prenunciou a escrita cinematográfica, introduziu artifícios elaborados de metalinguagem no folhetim e criou o vilão mais amoral do século XIX (o próprio Rocambole), combatido pela heroína mais perversa (Baccarat).

. Trabalho em andamento, base de futuros livros do autor.

5. Fábulas Completas de Esopo

. Links para as 20 primeiras histórias do primeiro livro da série, adaptadas e narradas em cenas. Trabalho em andamento, jamais realizado no Brasil.

. A sequência obedece ao Índice de Perry, referência internacional para estudiosos e tradutores.

_______________________

1. Precursores do romance brasileiro (1826-1843)

1826. Statira e Zoroastes, novela de Lucas José de Alvarenga.

1828. O cocheiro e o ministro de estado, autor desconhecido.

1830. Olaia e Júlio, ou a Periquita, novela de autor desconhecido.

1831. A Visão do Pico de Itajuru, conto de Antônio Manuel da Silveira Sampaio.

1831. Verdadeira mãe do Simplício ou a infeliz viúva peregrina, autor desconhecido.

1836. Ser guarda nacional, conto de Justiniano José da Rocha.

1836. Ser jurado, conto de Justiniano José da Rocha.

1836. Tardes, conto de José Cristino da Costa Cabral.

1836. A caixa e o tinteiro, conto-crônica de Justiniano José da Rocha.

1837. Dissertação filosófico-moral, conto-crônica de Josino do Nascimento Silva.

1837. Quarta-feira de cinza, conto de Justiniano José da Rocha.

1837. Mais – venha dinheiro, conto de Josino do Nascimento Silva.

1837. Um enforcado – o carrasco, conto de Josino do Nascimento Silva.

1837. O vil sedutor, conto de José Cristino da Costa Cabral.

1837. Ternura maternal ─ o jogo, conto de José Cristino da Costa Cabral.

1837. Um mau pai de família, conto de José Cristino da Costa Cabral.

1837. O casamento constrangido, conto de José Cristino da Costa Cabral.

1837. A freira, conto de Josino do Nascimento Silva.

1837. Texto sem título, conto-crônica de Justiniano José da Rocha.

1837. O duplo assassínio, conto de José Cristino da Costa Cabral.

1837. A viúva virtuosa, conto de José Cristino da Costa Cabral.

1837. As inocentes criancinhas, conto de autor desconhecido.

1837. Fui ao baile, conto de Josino do Nascimento Silva.

1837. O desengano de um amante, conto de José Cristino da Costa Cabral.

1837. As almas do outro mundo, conto de Josino do Nascimento Silva.

1837. Miscelânea, conto de Josino do Nascimento Silva.

1837. Aurea mediocritas, conto de Justiniano José da Rocha.

1837. Um coração sensível, conto de Justiniano José da Rocha.

1837. Sou escritor dramático!, conto de Josino do Nascimento Silva.

1837. Discussão Enterro, conto de autor desconhecido.

1837. Discussão e rusga, conto de autor desconhecido.

1837. Luíza, conto de João Manuel Pereira da Silva.

1837. Um primeiro amor, conto de João Manuel Pereira da Silva.

1837. Uma comédia numa tragédia, conto de Justiniano José da Rocha.

1837. As catacumbas de São Francisco de Paula, conto de João Manuel Pereira da Silva.

1837. O copo d’água, conto de Justiniano José da Rocha.

1837. Maria, conto de João Manuel Pereira da Silva.

1837. A Nova Sociedade das Senhoras Viúvas, ou a Sociedade das Desgostosas, conto de Miguel do Sacramento Lopes Gama.

1838. Um sonho, conto de Firmino Rodrigues da Silva.

1838. Um sonho, conto de Justiniano José da Rocha.

1838. A pena preta, conto de Josino do Nascimento Silva.

1838. As distrações, conto-crônica de Firmino Rodrigues da Silva.

1838. Os três desejos, conto de Firmino Rodrigues da Silva.

1838. Mariana Pinto, conto de Firmino Rodrigues da Silva.

1838. A prenda do casamento, conto de Josino do Nascimento Silva.

1838. Um episódio de 1831, conto de Luís Carlos Martins Pena.

1838. A família desgraçada, conto de João José de Sousa e Silva Rio.

1838. Amor, ciúme e vingança, conto de João Manuel Pereira da Silva.

1839. O aniversário de D. Miguel em 1828, novela de João Manuel Pereira da Silva.

1839. O rapto malogrado, conto de João José de Sousa e Silva Rio.

1839. O último suspiro, conto de João José de Sousa e Silva Rio.

1839. A paixão dos diamantes, noveleta de Justiniano José da Rocha.

1839. A mãe-irmã, conto de Francisco de Paula Brito.

1839. Minhas aventuras numa viagem nos ônibus, conto de Luís Carlos Martins Pena.

1839. Virgínia, ou a vingança de Nassau, conto de João José de Sousa e Silva Rio.

1839. Uma viagem na barca de vapor, conto de Luís Carlos Martins Pena.

1839. O enjeitado, conto de Francisco de Paula Brito.

2. Ficção brasileira de 1844 em diante

1844. Suzana, novela de João Vicente Martins.

1845. Diálogos, peça teatral de conversação de Ana Eurídice Eufrosina de Barandas.

1845. Eugênia ou a Filósofa Apaixonada, conto romântico de Ana Eurídice Eufrosina de Barandas.

1846. Os Mistérios de Família, novela de João Vicente Martins.

1847. Fany ou o Modelo das Donzelas, conto de Nísia Floresta Brasileira Augusta.

1860. Úrsula, romance de Maria Firmina dos Reis.

1861. Gupeva, noveleta de Maria Firmina dos Reis (versão de 1865).

1864 (?). A Morte do Capitão-Mor, drama teatral de Fagundes Varela (transcrição inédita do manuscrito).

1887. A Escrava, conto de Maria Firmina dos Reis.

1891. O Crime do Convento de, folhetim de Délia (Maria Benedita Câmara Bormann).

1897. O Milagre do Saco do Alferes, minifolhetim de Chico Brazurura (pseudônimo).

3. Resumos de histórias

1730. Obras do Diabinho da Mão Furada, novela de Antônio José da Silva.

1752. Aventuras de Diófanes, romance de Teresa Margarida da Silva e Orta.

1845. Eugênia ou a Filósofa Apaixonada, conto de Ana Eurídice Eufrosina de Barandas.

1874. O Doutor Benignus, romance de Augusto Emílio Zaluar.

1954. Estranhos Visitantes, novela de ficção científica de Hermengarda Leme Leite Takeshita.

4. Aventuras de Rocambole

Os Dramas de Paris – Primeira Série

1. A Herança Misteriosa

Prólogo

5. Fábulas Completas de Esopo

O primeiro volume da série, com 100 fábulas, está disponível na Amazon. Abaixo, as 20 primeiras fábulas do livro.

1. A Águia e a Raposa

2. A Águia, a Gralha e o Pastor

3. A Águia e o Besouro

4. A Águia e o Rouxinol

5. O Devedor de Atenas

6. O Pastor e as Cabras-Selvagens

7. O Gato e os Pássaros

8. Esopo no Estaleiro

9. A Raposa e o Bode no Poço

10. A Raposa e o Leão

11. O Pescador e sua Gaita de Foles

12. A Raposa e o Leopardo

13. O Pescador

14. O Macaco e a Raposa

15. A Raposa e as Uvas

16. O Gato e o Galo

17. A Raposa sem Cauda

18. O Pescador e o Peixinho

19. A Raposa e o Espinheiro

20. A Raposa e o Crocodilo

__________________________________________

Apoio

Caso queira contribuir para a continuidade do trabalho e das pesquisas, você pode comprar um dos meus livros na Amazon ou fazer uma doação, usando o e-mail sergiobximenes@gmail.com no site Paypal: https://www.paypal.com/br/home